quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Decote de jornalista conquista redes sociais


Decote pronunciado da pivô Aicha Marghadi captou a atenção dos espectadores

O vídeo de um noticiário do canal público holandês ‘Nederland 2’ está a conquistar as redes sociais. Em causa não estão as notícias do telejornal, mas antes o decote pronunciado da pivô Aicha Marghadi, e que surpreendeu os telespectadores do canal.

Da televisão, foi um passo até o o vídeo ser colocado no youtube e despertar a atenção dos internautas um pouco por todo o mundo.


sábado, 3 de dezembro de 2011

WikiLeaks revela “indústria de vigilância” em grande escala























Assange está em Inglaterra, onde luta contra um pedido de extradição para a Suécia

A WikiLeaks publicou nesta quinta-feira 287 documentos que indicam que dezenas de empresas vendem a Governos tecnologia para vigilância de pessoas, naquilo que a organização classifica como uma “indústria de vigilância” em larga escala.

O material publicado, a que a WikiLeaks chamou Spy Files, inclui, entre outros, catálogos e brochuras, apresentações, manuais de utilização, vídeos promocionais e um contrato (entre a Líbia e a empresa francesa Amesys).

“Publicámos 287 ficheiros a documentar a realidade da indústria internacional de vigilância em massa”, declarou aos jornalistas, em Londres, o fundador da WikiLeaks, Julian Assange. Citado pela agência AFP, Assange afirmou que esta indústria “vende equipamentos tanto a ditadores como democracias, para interceptar [as comunicações] de populações inteiras”.

Segundo o site criado pela WikiLeaks para apresentar os documentos, há empresas a vender equipamentos para “registar a localização de todos os telemóveis numa cidade, com uma precisão de 50 metros”, e software para “infectar todos os utilizadores de Facebook ou utilizadores de smartphone de um sector inteiro da população”. Para além disto, há quem venda vírus informáticos e outro software malicioso para ser instalado em computadores específicos, tecnologia de rastreamento por GPS e material para interceptar ligações de Internet.

Na lista de empresas a vender este género de tecnologia, estão alguns nomes conhecidos, como a HP, a Alcatel-Lucent e a Siemens, cada uma com uma apresentação de sistemas de vigilância. Por exemplo, na apresentação da Siemens – a um produto chamado Siemens Intelligence Platform e feita no Dubai em 2007 – a empresa pergunta: “Já alguma vez se questionou se a pessoa que viaja, para o seu país todos os meses no mesmo dia está a visitar a sede da empresa dela? Mas às vezes a data é um fim-de-semana...”

Entre os clientes estão países como a Líbia e o Egipto, mas também autoridades de países ocidentais, como a americana CIA. “Os Spy Files da WikiLeaks mostram mais do que os ‘países ocidentais bons’ a exportar para os ‘países maus em desenvolvimento’”, afirma a organização.

Esta fuga de informação é a primeira a desde que a WikiLeaks anunciou, no final do mês passado, estar a ter dificuldades de financiamento.

Os documentos surgem duas semanas após o americano Wall Street Journal ter publicado um trabalho de investigação que revelava “um novo mercado global para tecnologia de vigilância pronta a usar”, que, de acordo com o jornal, tem vindo a crescer desde os ataques do 11 de Setembro.

Tal como fez com o caso dos telegramas das embaixadas dos EUA, Assange actuou em parceria com outras organizações. Os SpyFiles são uma colaboração com a organização Privacy International, com o Bureau of Investigative Journalism (ambos com sede em Londres) e com a OWNY (uma organização francesa especializada em jornalismo baseado em análises de dados).

Há também três jornais envolvidos: os italianos La Repubblica e L’Espresso, o americano Washington Post e o indiano The Indu. Nenhum dos anteriores parceiros de Assange (o NY Times, o Guardian e a Spiegel) participaram no projecto.

A WikiLeaks diz ter mais informação, que será divulgada a partir da próxima semana.

fonte: Público

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Cerca de 15% das novas infecções por VIH são crianças com menos de 15 anos





















Voluntários dão corpo ao símbolo da luta contra a sida em Taipé

Em 2010, cerca de 15% das novas infecções pelo vírus de imunodeficiência humana (VIH) em todo o mundo foram em crianças com menos de 15 anos, refere um relatório internacional divulgado, esta quarta-feira, véspera do Dia Mundial da Sida.

Apesar dos novos casos, perto de 390 mil, o valor é bastante inferior face ao pico registado entre 2002/2003, altura em que foram verificadas 560 mil novas infecções em crianças, segundo o relatório "2011-Global HIV/AIDS Response", da responsabilidade da ONUsida, do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O documento, divulgado em Genebra, na véspera do Dia Mundial da Sida, que se assinala a 1 de Dezembro, constata que também houve uma diminuição significativa nos números totais.

No ano passado foram registadas um total de 2,7 milhões de novas infecções pelo VIH, o número mais baixo desde 1997 e uma redução de 21% em relação ao pico atingido nesse ano.

Desde 2001, a incidência anual do VIH caiu em 33 países, 22 deles localizados na África subsaariana. A região continua, no entanto, a suportar mais de dois terços (70% ou 1,9 milhões) das novas infecções.

Em outras regiões, a incidência está novamente a acelerar, como é o caso dos países da Europa de leste e da Ásia central, depois de uma diminuição nos primeiros anos de 2000, tal como estão a surgir novas infecções no Médio Oriente e no norte de África, refere o mesmo relatório.

No final de 2010, cerca de 34 milhões de pessoas viviam com o VIH, o número mais elevado de sempre que, segundo os especialistas, se deve ao aumento da sobrevivência. Destes casos, mais de 3,4 milhões são crianças com idades inferiores a 15 anos.

A região do mundo mais afectada continua a ser a região da África subsaariana, onde se registam cerca de dois terços (68% ou 22,9 milhões) dos casos de pessoas infectadas com o VIH. Mais de metade (59%) das pessoas infectadas são mulheres.

Na região que inclui a América do norte e a Europa ocidental e central (onde está incluindo Portugal) viviam com o vírus 2,2 milhões de pessoas, mais 34% do que em 2001 (1,6 milhões). Mais de metade (cerca de 1,2 milhões) viviam nos Estados Unidos.

No mesmo ano, 1,8 milhões de pessoas morreram de doenças relacionadas com a sida, contra 1,9 milhões em 2009 e 2,2 milhões em 2005.

Apesar desta diminuição significativa, os níveis de mortalidade, entre 2001 e 2010, aumentaram 11 vezes na Europa de leste e na Ásia central e mais que duplicaram na Ásia oriental. No Médio Oriente e no norte África, as mortes relacionadas com a sida aumentaram 60% (de 22 mil para 35 mil).

No final do ano passado, o número de pessoas que tinham acesso a tratamento antiretroviral em países de baixo e médio rendimento, segundo os termos utilizados no relatório, atingia os 6,65 milhões, o que significa que este número aumentou 16 vezes nos últimos sete anos.

Com base nestes valores, o relatório indica que quase metade (47%) das pessoas que necessitam do tratamento tem acesso à terapia antiretroviral, mais 1,35 milhões (ou 39%) que em 2009.

No total, 7,4 milhões que viviam com o vírus VIH receberam terapia antiretroviral, incluindo aqueles que viviam em países desenvolvidos.

O relatório destaca ainda que, em 2010, quase 50% das grávidas que viviam com o vírus estavam a receber tratamento para prevenir a transmissão mãe-filho.

fonte: JN

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Morreu a filha de Estaline, Svetlana Peters


Svetlana Estalina em Abril de 1967


Svetlana Peters, filha única do ditador soviético, morreu nos EUA, onde se exilou em 1967. Tinha 85 anos e dizia-se "prisioneira política para sempre do nome do meu pai".

A filha do ditador soviético Joseph Estaline morreu no passado dia 22, na miséria e com cancro, em Richland County, Carolina do Sul, EUA, onde se exilou em 1967, noticiou ontem o "The New York Times".

Svetlana Peters (apelido que adotou para apagar de vez a sua relação com o pai), conheceu várias vidas "dignas de um romance russo", acabando os seus últimos dias no Wisconsin (norte dos EUA), no anonimato e na miséria, depois dos anos em exílio, relata o jornal nova-iorquino.

CIA ajudou-a a fugir da União Soviética

Svetlana Peters decidiu abandonar a União Soviética em 1967, quando se encontrava na Índia. A CIA ajudou-a a fugir para os EUA onde, numa conferência de imprensa, à sua chegada, denunciou o comunismo e as políticas do pai, a quem chamou de "monstro moral e espiritual".

Recorde-se que Joseph Estaline morreu em 1953 depois de três décadas de um regime brutal e foi considerado responsável pela morte de milhões de pessoas.

Svetlana Peters escreveu dois livros best-sellers, entre os quais "Vinte Cartas a Um Amigo", que lhe renderam cerca de 1,7 milhões de dólares.

Mas, numa rara entrevista ao jornal "Independent", em 1990, a filha de Estaline disse que não tinha dinheiro, não recebia qualquer remuneração pelos direitos de autor, e que estava a viver com a filha Olga (fruto do seu casamento com o arquiteto William Peters, de quem se divorciou), numa casa alugada.

Svetlana deixou dois filhos de seus dois primeiros dois casamentos na ex-União Soviética, que também terminaram em divórcio.

O peso do nome do pai

Uma documentarista, Lana Parshina, encontrou-a num lar em Wisconsin, entrevistando-a para o filme "Svetlana Sobre Svetlana". Uma película sobre a sua complicada vida que o "The New York Times" afirma que "valia uma novela russa". 

No percurso da sua vida, Svetlana mudou diversas vezes de nome, procurando apagar todos os laços com o seu pai. Depois de dois casamentos e da morte de Estaline em 1953, utilizou o apelido de solteira da mãe e tornou-se Svetlana Alliluyeva.

Em 1970, tornou-se Lana Peters, depois de um breve matrimónio com o arquiteto William Wesley Peters, um aprendiz de Frank Lloyd Wright.

Numa entrevista publicada em 2010 no "Wisconsin State Journal", a única filha mulher do ditador soviético afirmou estar "muito feliz" naquela região remota, crente de que "o seu pai lhe arruinou a vida".

"Onde quer que eu vá, aqui, na Suíça ou na Índia, em qualquer lugar, eu serei sempre prisioneira política do nome do meu pai", disse. 

fonte: Expresso

domingo, 27 de novembro de 2011

Fado já é Património da Humanidade


Museu do Fado esteve aberto toda a noite à espera do resultado

A Unesco declarou o Fado como Património Imaterial da Humanidade, este domingo, em Bali, na Indonésia.

O Comité Internacional da UNESCO, constituído por 24 países, anunciou, este domingo, em Bali, na Indonésia, o Fado como Património Imaterial da Humanidade.

O antigo presidente da Câmara de Lisboa Pedro Santana Lopes lançou a ideia de candidatar o fado a Património Imaterial da Humanidade e escolheu os fadistasMariza e Carlos do Carmo para embaixadores da candidatura.

A candidatura foi aprovada por unanimidade pela Câmara de Municipal de Lisboa no dia 12 de Maio de 2010 e apresentada publicamente na Assembleia Municipal, no dia 1 de Junho, tendo sido aclamada por todas as bancadas partidárias.

No dia 28 de Junho de 2010, foi apresentada ao Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e formalizada junto da Comissão Nacional da UNESCO. Em Agosto desse ano, deu entrada na sede da organização, em Paris.

A candidatura portuguesa foi considerada como exemplar pelos peritos da UNESCO, tal como o Paraguai e Espanha.

fonte: JN

domingo, 13 de novembro de 2011

Fim de Berlusconi: 'É como se tivéssemos ganho um Mundial'


Foi com a abertura de garrafas de champanhe e gritos de "liberdade, liberdade" e "Viva Itália" que milhares de italianos festejaram a demissão de Sílvio Berlusconi na praça do Quirinal, sede da presidência da República, quando foi anunciada a saída do poder de Berlusconi.

Os milhares de italianos que juntaram na noite de ontem frente ao Parlamento, à sede do governo e à presidência esperando o anúncio da demissão do primeiro-ministro souberam do facto pelas 21.45 locais (menos uma hora em Lisboa).

Nos minutos que se seguiram, as ruas do centro da capital italiana foram invadidas por milhares de pessoas e automóveis.

Uma multidão que ali estava na praça do Quirinal há algumas horas entoou o hino de Itália e gritaram palavras de agradecimento ao presidente, Giorgio Napolitano, pelo seu papel na transição política.

"É como se a Itália tivesse ganho um Mundial" de futebol, comentou à agência EFE Antonello, um dos manifestantes concentrados em frente do palácio Grazioli, residência oficial do primeiro-ministro, onde peões e condutores festejavam agitando bandeiras de Itália e tocado insistentemente buzinas.

Entre os manifestantes encontrava-se o líder do Povo Violeta, um movimento de oposição a Berlusconi lançado nas redes sociais, Gianfranco Mascia: "Finalmente! É como se fosse o nosso bunga-bunga", disse à agência France Presse, evocando ironicamente as festas de Berlusconi com jovens mulheres.

As manifestações de alegria misturaram-se nalguns momentos com insultos ao ex-primeiro-ministro, com manifestantes a gritarem "ladrão" e "palhaço".

Segundo a EFE, entre as centenas de pessoas nas ruas via-se um comboio de manifestantes que dançava a conga para celebrar a notícia.

Em Milão centenas de pessoas juntaram-se na praça do Duomo, em frente da catedral e aplaudiram a notícia enquanto abriam garrafas de champanhe e entoavam o hino italiano. Tal como em Roma, eram visíveis muitas bandeiras de Itália.

fonte: DN

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Deputados italianos ao estalo no Parlamento


Debate sobre a reforma do sistema de pensões e comentários pouco abonatórios sobre a mulher de Umberto Bossi causam confrontos na Câmara dos Deputados.

O discurso incendiário de Marco Reguzzoni e a troca de mimos entre dois deputados (ao minuto 0:58)

A Itália vive momentos difíceis, e isso não é novidade. Também não é notícia um debate mais acalorado ou uma intervenção menos elegante no Parlamento transalpino. Mas verdadeiramente raro é os deputados chegarem a vias de facto.

Na quarta-feira, no auge do debate sobre a reforma do sistema de pensões, um tema que divide até o Governo de Silvio Berlusconi, a referência a um comentário sarcástico de Gianfranco Fini fez estalar o verniz dos parlamentares. 

Em causa estavam as declarações de Fini, presidente da Câmara dos Deputados e líder do Partido Futuro e Liberdade (oposição de direita), que justificou a oposição de Umberto Bossi (Liga do Norte, na coligação no poder) ao aumento da idade de reforma pelo facto da mulher deste se ter aposentado 'aos 39 anos'. No Parlamento, as provocações mútuas resultaram numa troca de estalos entre dois deputados dos dois partidos. A sessão foi imediatamente suspensa pela vice-presidente Rosy Bindi.

As alterações ao sistema italiano de pensões foi imposta pelos parceiros europeus no âmbito de um vasto conjunto de medidas para evitar que a Itália se torne no quarto país da zona euro a pedir ajuda financeira. No início da semana, o braço de ferro entre Bossi e Berlusconi quase levou ao colapso do Executivo. Um consenso foi entretanto alcançado entre os parceiros de coligação e o primeiro-ministro italiano apresenta esta quarta-feira em Bruxelas um novo pacote de medidas de austeridade já aprovadas em Roma.

fonte: Sol

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Bode "fascista" de partido suíço foi raptado























Zottel, o bode que é a mascote do Partido do Povo da Suíça, foi raptado por um grupo autodenominado "Acção Antifascista".



O "rapto" deu-se perto de Zurique, na Suíça, no último sábado. E o grupo "Açcão Antifascista" já assumiu ter levado o animal. "Agora também temos um bode expiatório", ironizou o grupo na Internet.

Zottel, de 10 anos de idade, tornou-se mascote do Partido do Povo da Suíça nas eleições de 2007, pois de acordo com os seus responsáveis teria dado sorte ao partido

A polícia de Zurique já abriu uma investigação para tentar encontrar o animal.

fonte: DN

domingo, 9 de outubro de 2011

Governo holandês vai obrigar coffee shops a vender cannabis mais leve






















As lojas vão ter dificuldade em medir a concentração de THC

O Governo holandês anunciou nesta sexta-feira a proibição da venda de cannabis com uma percentagem da substância psico-activa superior a 15 por cento. A medida faz parte de uma campanha que dura há uma década para repensar as liberdades, e acontece meses depois de o Governo defender a proibição da entrada de turistas nas coffee shops – o nome das lojas holandesas onde se vendem drogas leves.

O tetrahidrocanabinol (THC) é a substância responsável pelo efeito psico-activo da cannabis. Segundo o Instituto Trimbus, uma instituição holandesa que estuda as drogas na sociedade, desde que a posse de cannabis foi descriminalizada na Holanda, em 1976, a concentração de THC na planta que é vendida tem vindo a aumentar. 

Hoje, 80 por cento desta substância que se vende nas coffee shops tem uma concentração de THC superior a 15 por cento, com uma concentração média de 16,5 por cento. O Governo argumenta que esta concentração torna a cannabis numa nova droga, cujo perigo para a sáude, principalmente a saúde mental, é igual ao da cocaína e heroína.

“Depois de uma alteração na lei, as coffee shops só vão poder oferecer cannabis com uma quantidade de THC menor do que 15 por cento”, disse numa conferência de imprensa Maxime Verhaging, o vice primeiro-ministro holandês que é responsável pela pasta da economia. “Vemos a cannabis com uma quantidade de THC superior a 15 por cento como uma droga dura, que põe riscos [à saúde] inaceitáveis”, disse em Haia, citado pela AFP.

Dúvidas quanto à implementação

A medida entrará em vigor já em Março ou Abril de 2012, mas os vendedores questionam a utilidade da alteração e como é que vão conseguir implementá-la. Para que as lojas não sejam processadas e fechadas têm que passar a vender variedades mais fracas da cannabis, o que levanta questões. 

“Os comerciantes da cannabis já estão a infringir a lei por isso como é que os testes podem ser legais?”, questionou Maurice Veldman citado pela Reuters, um advogado do grupo de retalhistas de cannabis. Na Holanda só se podem plantar cinco pés de cannabis, acima disso as pessoas são processadas, o que acontece regularmente a quem produz a planta para depois vender. “Não está claro o que é que as coffee shops têm que fazer”, explicou.

Segundo Gerrit-Jan ten Bloomendal, porta-voz da Plataforma para o Negócio da Cannabis, o plano poderá “ser impossível”, disse à AP. “Como é que vamos saber se uma certa dose excede os 15 por cento de THC? Como é que os inspectores vão saber?”, questionou. Para Bloomendal a medida irá ter consequências no mercado negro, com uma nova onda de venda ilegal de cannabis mais potente.

Há ainda uma dúvida em relação à questão da saúde. “Tudo isto vai fazer com que as pessoas fumem mais ganzas e que eu venda mais gramas. Mas como são utilizadas com tabaco, vai ter um impacto maior na saúde”, disse Marc Josemans, dono de uma coffee shopem Masstricht, citado pela Reuters.

O vendedor critica ainda a posição do Governo, que está a transformar a política da Holanda numa política cada vez mais de direita. “Sente-se imediatamente a diferença. Tudo o que eles consideram fora do vulgar chamam de ‘hobbies da esquerda’, e sob este nome eles querem banir todos os ‘hobbies da esquerda’, como fumar cannabis”, disse por sua vez à BBC News.

No início do próximo ano, o Governo quer banir a entrada de turistas nas coffee shops. Segundo a Al Jazeera, Amsterdão tem tentado resistir a esta medida, já que estas lojas são uma das maiores atracções turísticas da cidade.

fonte: Público

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Steve Jobs, fundador da Apple e criador do iPhone, morre aos 56 anos






















A Apple anunciou esta madrugada a morte de Steve Jobs, na quarta-feira. O fundador da empresa e criador de produtos como o Macintosh, o iPad ou o iPhone tinha 56 anos e lutava contra um cancro do pâncreas.

"Estamos profundamente tristes por anunciar que Steve Jobs faleceu hoje [quarta-feira]", indica um curto comunicado do conselho de administração da Apple.

No site oficial da empresa surge uma imagem de Jobs e depois uma mensagem: "A Apple perdeu um visionário e um génio criativo, e o mundo perdeu um grande ser humano. Aqueles que tiveram a felicidade de conhecer e trabalhar com Steve Jobs perderam um querido amigo e um mentor inspirador. Steve deixa uma empresa que só ele poderia ter construído e o seu espírito será para sempre a base da Apple", lê-se. No site oficial da empresa, todos aqueles que o quiserem podem deixar uma mensagem de condolências.

Mark Zuckerberg, criador do Facebook, escreveu na sua página desta rede social: "Steve, obrigado por seres um mentor e um amigo. Obrigado por mostrares que o que construíste consegue mudar o mundo. Vou ter saudades tuas".

Steve Jobs abandonou a presidência executiva da Apple a 25 de Agosto (leia a carta). Antes, em Janeiro, tinha feito uma pausa profissional para mais uma fase de luta contra a doença. Mas voltou e, em Junho, surpreendera ao apresentar o iCloud.

O fundador da Apple já se submetera, em Julho de 2009, a um transplante de fígado.

Na terça-feira foi lançado o iPhone 4S, a primeira novidade da era-pós-Jobs.

fonte: DN

domingo, 2 de outubro de 2011

Igreja Católica ainda não aprendeu a utilizar a internet



























O site oficial do Vaticano

A Igreja Católica continua a ter “dificuldade em aprender” a linguagem da internet e continua a viver, quando muito, na idade da web 1.0. A crítica é do arcebispo Claudio Maria Celli, presidente do Conselho Pontifício das Comunicações Sociais, esta tarde em Fátima.

Falando a jornalistas nas jornadas de comunicação social da Igreja Católica, o arcebispo Celli referiu que, das mais de 8400 dioceses católicas do mundo, “só metade tem sítio na internet”. E a maior parte, diz, “são sítios velhos”, que servem apenas para anunciar as nomeações de padres ou para reproduzir as homilias do bispo. “É uma web 1.0, numa altura em que o mundo já pensa mover-se na web 3.0”, comentou o arcebispo. 

Em Portugal, o panorama não é muito melhor. O padre António Rego, director do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais da Igreja (SNCSI) referiu que, dos mais de 500 títulos de imprensa católica regional, “apenas 42 por cento está online”. E a quase totalidade limita-se a copiar o que é publicado nas edições em papel.

“É isto que interessa às pessoas”, perguntava o arcebispo Celli a propósito dos conteúdos que predominam nos sítios de internet das instituições ligadas à Igreja. E ironizava: “O bispo mais activo e sensível publica no seu sítio diocesano as suas homilias. Eu pergunto, sorrindo, quem as vai ler? Um jovem de hoje não vai ler um texto de 15 páginas.”

Nas jornadas, que esta sexta-feira terminam em Fátima, sobre a era digital como uma revolução cultural e social, o padre Júlio Grangeia, pároco de três paróquias em Aveiro e pioneiro na utilização da internet, insistiu na necessidade de a Igreja estar presente na rede.

fonte: Público

sábado, 1 de outubro de 2011

Tintin já esta a ser julgado na Bélgica























Bienvenu Mbutu Mondondo

O julgamento do caso do livro "Tintin no Congo" começou na sexta-feira em Bruxelas. Em discussão está a mensagem alegadamente "racista" da banda desenhada, que tem em Tintin o actor principal. O processo desenrola-se no país natal do autor onde o herói de banda desenhada é um símbolo nacional.

O queixoso, Bienvenu Mbutu Mondondo, considera que a obra de banda desenhada de Georges Remi, mais conhecido como Hergé (1907-1983) "faz a apologia da colonização" e constitui "um insulto à população negra",conforme declarou antes da audiência, citado pela agência de notícias Efe.

A Acusação apresentou os seus argumentos na primeira instância do Tribunal Cível de Bruxelas. A audição da outra parte vai ter lugar dentro de duas semanas. A editora Casterman e a Moulinsart, sociedade gestora dos direitos de Tintin, são assim chamadas a depor.

Espera-se que a sentença do processo aberto pelo cidadão congolês, que reclama a proibição da obra ou a introdução de uma mensagem acerca do conteúdo, seja conhecida em meados de Novembro.

A primeira edição de "Tintin no Congo" data de 1931, quando o país africano era uma colónia belga, e descreve os naturais como "idiotas, incivilizados e incapazes de falar correctamente", alegou o advogado de acusação, Ahmed L'Hedim, na intervenção perante o tribunal.

"A história inclui diálogos e imagens de acordo com a ideologia da época, na qual era dominante a ideia de superioridade do homem branco, para justificar o colonialismo", acrescentou o advogado.

O objectivo do queixoso é "que a obra não chegue às crianças sem a supervisão de um adulto", requerendo assim a inclusão de uma mensagem de advertência, de um prefácio e a restrição da sua distribuição nas secções infantis das livrarias.

A Acusação entende que o problema "é a visão global do homem negro que a obra dá no conjunto", citando vários exemplos, como o tom das ordens que Tintin dá aos nativos ou ainda o pedido que lhes faz para concluírem a soma "2+2", à qual não obteve resposta.

O advogado da Casterman e da Moulinsart, Alain Berenboom, por seu lado, qualificou de "inaceitável" a possibilidade de incluir uma mensagem de advertência no álbum, porque essa "é uma forma de censura" e significaria "culpar o autor de racismo".

"Tintin no Congo" já foi objecto de polémica na França, Suécia e Reino Unido países onde, por decisão judicial, inclui uma mensagem explicativa do contexto histórico da obra.

Nos Estados Unidos da América há bibliotecas onde a banda desenhada está catalogada como tendo conteúdo xenófobo, ao lado de livros como "Mein Kampf" de Adolf Hitler.

"As Aventuras de Tintin" estão traduzidas em mais de 80 idiomas e venderam mais de 230 milhões de exemplares, em todo mundo.

fonte: JN

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Detido em Portugal um dos homens mais procurados nos EUA


George Wright cumpria pena de prisão de 15 a 30 anos por homicídio 

As autoridades norte-americanas anunciaram a detenção de George Wright, um dos homens mais procurados nos Estados Unidos, que conseguiu evadir-se de um estabelecimento prisional em Nova Jérsia, há mais de 41 anos. O fugitivo foi encontrado e capturado em Portugal, nos arredores de Lisboa.

Após décadas de buscas, na semana passada deu-se um súbito desenlace: a polícia estabeleceu a coincidência entre as impressões digitais do fugitivo e um cartão de residência em Portugal.

George Wright, actualmente com 68 anos, foi condenado a uma pena de prisão de 15 a 30 anos, pelo homicídio de um veterano condecorado da Segunda Guerra Mundial durante um assalto a uma bomba de gasolina em Nova Jérsia. Walter Patterson, a vítima, tinha 70 dólares no bolso. Wright foi detido dois dias depois, a 13 de Dezembro de 1962.

A sentença do julgamento por homicídio foi lida a 15 de Fevereiro de 1963. George Wright passou alguns anos no cárcere, mas conseguiu escapar da prisão estadual de Leesburg, Nova Jérsia, onde cumpria a pena, a 19 de Agosto de 1970. Encontrava-se a monte desde então.

Wright não atravessou de imediato o Atlântico. A fuga levou-o para Detroit, onde se tornou membro do Black Liberation Army e se manteve durante cerca de dois anos, conta o FBI na nota em que deu conta da detenção, realizada ontem, segunda-feira.

A 31 Julho de 1972, um avião que seguia de Detroit para Miami foi sequestrado por três homens e duas mulheres, que levavam consigo três crianças. Quando chegaram ao destino, exigiram o maior resgate de que na altura havia memória, de um milhão de dólares. Receberam-no e acabaram por libertar os passageiros.

A história não acaba aí. George Wright, que as investigações subsequentes identificaram como um dos sequestradores, desviou depois, com os restantes companheiros, o avião para Boston, a fim de reabastecer e de conseguir mais um piloto para a viagem transatlântica. Conseguiram – e seguiram para a Argélia. A MSNBC, que recorda a cobertura do acontecimento, fala num dos sequestros mais “arrojados da História”.

Viajaram para aquele país do Norte de África com o intuito de ali conseguir asilo. Acabaram por ser detidos e, a pedido dos Estados Unidos, as autoridades argelinas devolveram o avião e o dinheiro do resgate. Dias mais tarde, o grupo foi libertado e desapareceu dos radares norte-americanos.

George Wright transformou-se num fugitivo solitário em 1976. Foi nesse ano, a 26 de Maio, que os quatro companheiros da aventura transatlântica foram detidos pela polícia francesa, em Paris. Foram julgados e condenados em França. Wright conseguiu manter-se longe do cárcere e entrou na lista dos mais procurados.

A detenção em Portugal foi comunicada pelo FBI, em parceria com os US Marshals e o Departamento Penitenciário de Nova Jérsia, nesta terça-feira. A nota informa que os “Estados Unidos estão a tentar a extradição de Portugal para que [George Wright] possa cumprir o que falta dos 15 a 30 anos da sentença por homicídio”. O texto não refere o eventual julgamento do crime pelo desvio do avião.

fonte: Público

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Morreu o pintor Júlio Resende























Júlio Resende morreu esta quarta-feira, em Valbom, Gondomar, aos 93 anos, disse à Lusa um amigo do pintor.

O corpo do pintor ficará em câmara-ardente na igreja paroquial de Valbom, em Gondomar.

Nascido no Porto a 23 de Outubro de 1917, filho de um comerciante e de uma professora de música, Júlio Resende diplomou-se em pintura, em 1945, pela Escola Superior de Belas-Artes do Porto.

Fez trabalhos de ilustração para vários jornais do Porto, entre os quais o "Jornal de Notícias", "O Primeiro de Janeiro" e "O Papagaio".

A primeira exposição do artista realizou-se em 1946, em Lisboa, cidade onde conhece Almada Negreiros. Resende volta a viver no Porto em 1951, ano em que ganha o prémio especial na Bienal de S. Paulo. O tema principal da sua pintura é, na altura, a gente do mar.

Professor do ensino secundário, arrecadou em 1952 o Prémio da 7.ª Exposição Contemporânea dos Artistas do Norte, ano em que também executou um fresco da Escola Gomes Teixeira, Porto e fez investigação sobre desenho infantil.

Na década de 1960, Resende enveredou por projectos de arquitectura, colaborando na decoração do Palácio da Justiça de Lisboa e realizando o painel para a sede do Banco de Portugal.

O seu gigantesco painel de azulejos "Ribeira Negra", colocado à saída do tabuleiro inferior da ponte D. Luís I, no Porto, e realizado a pedido da Câmara do Porto em 1968, é considerado por muitos como o melhor painel cerâmico contemporâneo.

É também de sua autoria a decoração de azulejos da estação do Metropolitano de Lisboa de Sete Rios.

Responsável pela ilustração da obra de Fernando Namora "Retalhos da Vida de um Médico", Resende recebeu em 1997, a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

"O Desenho é expressão de um consciente que o particulariza", lê-se no sítio da Internet da Fundação Júlio Resende, instituição onde está reunido um espólio de cerca de dois mil desenhos do artista português.

fonte: DN

sábado, 10 de setembro de 2011

O 11 de Setembro visto do espaço


O astronauta Frank Culbertson, o único norte-americano ausente da Terra durante os atentados de 2001, captou com a sua câmara a fumarada provocada pelo derrube das Torres Gémeas de Nova Iorque, em fotos e vídeo divulgados nesta sexta-feira pela NASA.

Na manhã dos ataques, Culbertson encontrava-se a bordo da Estação Espacial Internacional, juntamente com os astronautas russos, e a 250 quilómetros de distância quando, segundo recorda, viu a bola de fumo que subia desde a zona de Manhattan. 

Ao inteirar-se do que estava a ocorrer, através da comunicação com os seus superiores, Culbertson começou a documentar os ataques em fotografias porque a Estação Espacial Internacional sobrevoava nesse momento a área de Nova Iorque. 

"Quando vi pela janela, registei em vídeo justamente quando a segunda torre colapsou. Não sabia o que estava a ocorrer exactamente, mas calculei que seria algo verdadeiramente mau porque havia uma grande nuvem de escombros que cobria Manhattan", assinalou Culbertson, segundo comunicado divulgado pela agência espacial norte-americana. 

Culbertson descreveu o momento como "doloroso", assinalando que foi como ver uma "ferida" nas costas no seu próprio país, disse, ao ser entrevistado pela NASA (National Aeronautics and Space Administration) a propósito do 10 aniversário dos atentados do 11 de Setembro. 

“MUNDO MUDOU HOJE”

Em carta publicada no dia seguinte aos ataques terroristas, Culbertson relatou: "O Mundo mudou hoje. O que faça ou diga é pouco em comparação com a transcendência do que ocorreu no nosso país ao ser atacado." 

"Foi horrível ver o fumo que saía das feridas feitas no teu país de semelhante perspetiva. A dicotomia de estar numa nave espacial dedicada a melhorar a vida na Terra e ver como essa vida é destruída mediante actos terroristas terríveis e deliberados sacode qualquer pessoa", enfatizou Culbertson. 

O astronauta lembrou ainda que as lágrimas não fluem da mesma maneira no espaço e que é difícil descrever o que sentiu: "Era o único norte-americano fora do planeta num momento como aquele e sem poder consolar os seus entes queridos", disse Culbertson, de 62 anos, que se reformou da NASA em 2002. 

Culbertson ficou ainda mais consternado quando soube que o seu amigo e colega dos tempos da Academia Naval dos EUA, Charles Burlingame, foi o piloto que morreu quando o voo 77 da American Airlines embateu no edifício do Pentágono. 


terça-feira, 6 de setembro de 2011

Sabia que hoje 6/9 é o Dia do Sexo?



Para uns não passará de uma manobra de marketing de uma empresa, mas para outros é um manifesto que dá sentido à vida. Esta terça-feira, 6/9 é o Dia do Sexo, pelo menos é o que uma marca de preservativos brasileira tenta instituir desde 2008. O movimento pela criação oficial do dia conta já com mais de 76 mil apoiantes. 

A escolha do dia está na grafia do número: o 6/9 foi escolhido pela alusão que faz a uma posição sexual. O manifesto publicado na página online que dá voz ao movimento explica as razões para existir um Dia do Sexo.

«Dia das mães, dias dos pais, dia das crianças, dia dos namorados. Por que não criarmos um dia em homenagem àquilo que deu origem a tudo: o sexo?», lê-se no manifesto.

fonte: TVI 24

domingo, 4 de setembro de 2011

II Grande Guerra começou há 72 anos


Há 72 anos, a invasão da Polónia pela Alemanha desencadeou a II Grande Guerra e mergulhou a Europa num longo período de conflito, morte e devastação.

Foi uma das épocas mais negras da História da humanidade e teve início há 72 anos, quando, a 1 de setembro de 1939, as tropas alemãs, ordenadas por Adolf Hitler, invadiram a Polónia.

A invasão da Polónia foi o acontecimento que desencadeou a II Grande Guerra, o segundo grande conflito geopolítico que marcou o século XX e determinou o destino das nações que, com o seu final, viram muros serem construídos, potências a emergirem e uma corrida ao armamento que dividiu o mundo em dois, instalando o frágil equilíbrio do terror.

A II Grande Guerra, entre 1939 a 1945, devastou a Europa, provocando enormes prejuízos materiais, tanto nos países derrotados, como nos vencedores, e a morte de mais de 60 milhões de pessoas, entre as quais, cerca de seis milhões de judeus.

Uma Alemanha do tamanho da Europa e arredores

Em 1933, a Alemanha proclama o terceiro Reich (império), um período da História do país geralmente associado ao regime totalitário fascista, liderado por Adolf Hitler. Em 1934, este autoproclama-se Führer (líder), após a morte do Presidente alemão Paul Von Hindenburg.

A Alemanha Nazi, com Hitler na liderança, pretendia controlar toda a Europa central e construir um império alemão, que também deveria incluir as colónias francesas e britânicas em África.

Em Mein Kampf, livro editado em 1926, Hitler defendia a exterminação das "raças inferiores" e a expansão do Reich, de forma a conseguir o "espaço vital" necessário à elevação do povo ariano.

O horror de Mein Kampf na prática

Em 1938, a Alemanha anexa a Áustria, numa clara violação ao Tratado de Versalhes, o acordo de paz assinado em 1919 que marcou o fim da I Guerra Mundial.

Ignorando as tentativas diplomáticas dos países ocidentais para evitar o conflito, Hitler acaba por invadir a Polónia a 1 de setembro de 1939, dias depois de assinar com a União Soviética um pacto de não-agressão, em Moscovo, no qual foi acordado que a Europa Ocidental seria dividida em duas áreas de influência.

Em resposta à invasão da Polónia, a França e a Grã-Bretanha declararam guerra à Alemanha, no dia 3 de setembro de 1939.

A II Grande Guerra, que se travou entre as potências do Eixo (Alemanha, Itália e Japão), e os Aliados (Grã-Bretanha, França, Estados Unidos e, posteriormente, a União Soviética), tinha começado. O mundo nunca mais seria o mesmo.

 Adolf Hitler, chanceler alemão, num comício do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (Partido Nazi)

 Líder do governo francês, Edouard Daladier, assina o Tratado de Munique, a 29 de setembro de 1938, no qual se estabeleceu que a Checoslováquia seria a última aquisição territorial alemã  

 Adof Hitler e o Presidente da Checoslováquia, Emil Hácha, em março de 1939. A Alemanha toma o controlo da Checoslováquia no mesmo mês

 Polónia é invadida pela Alemanha, a 1 de setembro de 1939

 Durante a primeira semana, as forças alemãs avançaram 225 quilómetros, encontrando-se muito próximas de Varsóvia

 Cavalaria polaca fez frente às forças alemãs, em setembro de 1939


Tropas aliadas são evacuadas de Dunkerque, no norte de França, depois do país ser invadido pela Alemanha, em maio de 1940 

 Charles de Gaulle, líder das forças de libertação francesas, em Londres, em 1942 

 Atque japonês a Pearl Harbor, a 7 de dezembro de 1941

 O ataque surpresa a Pearl Harbor foi o fator decisivo para a entrada dos EUA na II Guerra Mundial

 Soldados soviéticos durante a batalha de Estalinegrado (17 de julho de 1942 a 2 de fevereiro de 1943), que marcou o fim do avanço das forças alemãs no território da URSS

 Grupo de Judeus é enviado para um campo de concentração na Alemanha, em 1942, o ano em que a "Solução Final" - o assassino massivo de judeus  

 Gueto de Varsóvia, 1943 

 Grupo de mulheres e crianças chega ao campo de concentração de Auschwitz, durante a II Guerra Mundial

 Tropas aliadas desembarcam nas praias da Normandia, em França, a 6 de junho de 1944, 
dia D

 Desembarque na Normandia, 6 de junho de 1944

 Adolf Hitler suicida-se a 30 de abril de 1945. A Alemanha rende-se em maio 

 Winston Churchill, Franklin Roosevelt e Estaline reunem-se na Conferência de Yalta, a 4 de fevereiro de 1945, na qual foram decididas as zonas de influência de cada potência no período pós-conflito  


Hiroshima, no Japão, é devastada por uma bomba atómica lançada pelos EUA, a 6 de agosto de 1945


Bomba atómica lançada pelos EUA em Nagasaki, no Japão, a 9 de agosto de 1945. Japão rende-se a 2 de   setembro do mesmo ano























Líderes nazis acusados de crimes contra a humanidade, durante a II Guerra Mundial, ouvem o veredito do tribunal de Nuremberga, a 2 de outubro de 1946 

fonte: Expresso

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Cidade alemã instala parquímetros para taxar prostitutas de rua













Em Bonn na Alemanha, o município instalou parquímetros para cobrar uma taxa às prostitutas que trabalham na rua.

Tendo em conta que a actividade está legalizada no país e que as profissionais do sexo que trabalham em casas de alterne são taxadas, o governo local decidiu que seria mais equitativo cobrar também impostos àquelas que trabalham na rua.

Assim sendo, cada trabalhadora deve depositar por seis euros por noite, o que lhes permite trabalhar durante 10 horas na rua, entre as 20.15 e as seis da manhã.

O pagamento será fiscalizado por funcionários públicos e quando tal não acontecer, a mulher fica sujeita ao pagamento de uma multa.

Embora a prostituição seja legal na Alemanha desde 2002, a actividade dos profissionais do sexo não agrada aos moradores de Bonn. Para satisfazer os cidadãos e proteger as prostitutas, a câmara municipal criou uma área específica para destinada para o efeito.

De acordo com a BBC foram construídas garagens especiais, feitas de madeira para que os clientes possam estacionar os seus carros e a zona é policiada por um agente da autoridade.

fonte: Sol

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Autarca italiano cria nova moeda em sinal de protesto



O presidente da câmara de Filettino, Itália, está contra a proposta do governo italiano que visa a fusão de cidades com menos de 1000 habitantes no intuito de economizar meios.

Luca Sellari é contra a fusão com Trevi, a cidade vizinha de Filettino. E como protesto criou a nova moeda denominada "Fiorito", onde nas notas aparece a foto da sua cara.

O presidente da Câmara afirmou que "com um pouco de empenho" irá conseguir a independência e conta com o apoio da população.

Filettino situa-se a 100 quilómetros de Roma e conta com cerca de 550 habitantes. Sellari quer transformar a cidade num principado, seguindo o exemplo de San Marino.

fonte: DN

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Manuel de Arriaga foi eleito o primeiro chefe de Estado






















Manuel de Arriaga, no palacio de Belém, com algumas individualidades politicas, tendo á sua direita Bernardino Machado

Há cem anos, o advogado e professor Manuel de Arriaga foi eleito o primeiro Presidente da República Portuguesa, cargo que ocupou durante quatro anos, muito longe do 'recorde' de Óscar Carmona, que esteve em Belém 25 anos.

Manuel de Arriaga foi eleito a 24 de Agosto de 1911, mas resignou antes do final do mandato, a 26 de Maio de 1915, numa altura de grande instabilidade governativa. Saiu do Palácio de Belém escoltado por forças da Guarda Republicana.

Teófilo Braga substituiu Manuel Arraiga a 14 de Maio de 1915. Contudo, acabaria por ser um Presidente de transição, por apenas quatro meses.

O terceiro Presidente da I República foi Bernardino Machado, que ocupou por duas vezes a chefia do Estado, entre 1915-1919 e 1925-1929, não tendo cumprido nenhum dos mandatos até ao fim.

Sidónio Pais foi o quarto Presidente e o primeiro a ser eleito por sufrágio direto e universal. O mandato acabaria por ser interrompido oito meses mais tarde com o seu assassinato na estação do Rossio.

João do Canto e Castro foi o 'inquilino' seguinte do Palácio de Belém. Depois de um mandato marcado por revoltas e tentativas de restauração monárquicas, a 05 de outubro de 1919 passou o testemunho a António José de Almeida, o médico que acabou por ser o único chefe de Estado da I República que cumpriu os quatro anos de mandato estabelecidos na Constituição.

Manuel Teixeira Gomes teve depois um mandato marcado pela instabilidade governativa, acabando por se demitir em 1925, dois anos depois de tomar posse.

Mendes Cabeçada assumiu de seguida a chefia do Estado, mas por escassas semanas, acabando afastado do cargo por Gomes da Costa, que liderou no final de maio o golpe militar que a partir de Braga pôs fim à I República.

Gomes da Costa ocupou a chefia do Estado e do Governo entre 17 de junho e 9 de julho de 1926, altura em que foi deposto por Óscar Carmona e Sinel de Cordes.

Eleito Presidente da República por decreto de 1926, Óscar Carmona recorreu às urnas dois anos depois para legitimar o seu poder. Foi reeleito em 1935 e 1942, mantendo-se no cargo até à morte, a 18 de Abril de 1951.

Em pleno regime salazarista, o nome escolhido para suceder a Óscar Carmona foi o de Craveiro Lopes, que cumpriu apenas um mandato, até 1958.

Eleito pela primeira vez a 8 de Junho de 1958, Américo Tomás foi depois reeleito em 1965 e 1972, por colégio eleitoral, mantendo-se em Belém até ao dia 25 de Abril de 1974, quando foi derrubado pelo Movimento das Forças Armadas.

Já em democracia, António Spínola foi nomeado Presidente da República pela Junta de Salvação Nacional a 15 de Maio de 1974, demitindo-se menos de seis meses depois.

Costa Gomes assumiu de seguida a chefia do Estado, também por indicação da Junta de Salvação Nacional, mantendo-se em Belém até 14 de Julho de 1976.

Dando início a uma época de estabilidade na Presidência da República, Ramalho Eanes foi eleito a 27 de Junho de 1976.

Cinco anos mais tarde, foi reeleito para um segundo mandato, que terminou a 9 de Março de 1986, altura em que Mário Soares assumiu a chefia do Estado, depois de umas eleições renhidas e só decididas à segunda volta.

Soares foi mais tarde reeleito para um segundo mandato, que cumpriu entre Março de 1991 e Março de 1996. Dez anos depois, ainda se candidatou a um terceiro mandato, mas acabou derrotado pelo atual Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva.

Em 1996, Jorge Sampaio chegou a Belém e também ele cumpriu a 'tradição' candidatando-se para um segundo mandato cinco anos mais tarde, eleição que venceu sem dificuldades.

A 9 de Março de 2006 teve início o primeiro mandato do actual chefe de Estado, que cumpre agora os últimos cinco anos em Belém, depois da reeleição que garantiu no início deste ano.

fonte: DN

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Coco Chanel era espiã nazi, revela nova biografia da estilista



Coco Chanel teria sido espiã dos nazis durante a Segunda Guerra Mundial e conseguiu escapar da prisão e da morte como colaboradora para se reinventar, no exílio na Suíça, revela uma explosiva biografia sobre a estilista francesa que será lançada nesta terça-feira, nos Estados Unidos.

"Sleeping with the Enemy: Coco Chanel's Secret War" (Dormindo com o Inimigo: a Guerra Secreta de Coco Chanel, numa tradução livre) do jornalista Hal Vaughan afirma ter juntado todas as peças do quebra-cabeças sobre os rumores nunca verificados sobre o passado nazi desta rainha da moda.

"Sleeping with the Enemy' fala sobre como Coco Chanel tornou-se parte da operação de inteligência alemã; como e porque foi alistada em missões de espionagem, como escapou da prisão na França depois da guerra, apesar do conhecimento de suas actividades", afirma a editora Knoff em comunicado.

Entre as revelações do livro estão incluídas documentação com o número de agente nazi de Chanel, uma missão que realizou na Espanha, em troca da libertação de um sobrinho detido e sua relação com líderes do nazismo, como Hermann Goering e Joseph Goebbels, entre outros.

O livro do escritor e jornalista americano Hal Vaughan também apresenta provas sobre as ações de Chanel para encobrir outros espiões nazis e uma tentativa de apropriar-se de bens de seus sócios judeus, afirma a editora na nota à imprensa.

Hal Vaughan descreve em detalhes a relação de Chanel com o barão Hans Gunther von Dincklage, um oficial alemão dos serviços secretos, mencionada em outras biografias da estilista, mas cuja verdadeira influência é apresentada pela primeira vez.

"Dincklage é revelado aqui como um mestre da espionagem nazi e um agente da inteligência militar alemão que tinha a seu dispor uma rede de espiões no Mediterrâneo e em Paris que reportava directamente ao ministro de propaganda nazista Joseph Goebbels, considerado a mão direita de Hitler", diz o comunicado.

A vida de Coco Chanel (1883-1971) é um filme em si, já que de órfã pobre transformou-se numa das grandes estilistas do século XX e que ainda fascina, 40 anos depois de sua morte.

fonte: Noticias BOL

Obama gasta 2,2 milhões em autocarros blindados


















O Presidente dos EUA está em digressão por três estados do país e estreia nesta viagem um de dois autocarros blindados, que no futuro não serão usados apenas por Barack Obama. Mas o facto de cada um destes 'Bus Force One', como lhes chama a imprensa, ter custado 1,1 milhões de dólares está a levantar críticas.

Segundo os Serviços Secretos norte-americanos, estes dois veículos foram adquiridos há uns meses para a frota de protecção do Presidente. Têm todo o equipamento de segurança e comunicação necessários para garantir que o líder norte-americano está permanentemente actualizado e corre riscos mínimos, descreve o El Mundo.

Ed Donovan, porta-voz dos Serviços Secretos, argumentou que os autocarros, que até agora costumavam ser alugados, serão utilizados por outros altos dirigentes do país. Donovan não quis dar detalhes sobre o veículo, mas admitiu que são similares à "Besta", o nome dado à limusina blindada em que viajam os Presidentes dos EUA. Tendo em conta esta referência, os autocarros de vidros pintados e luzes de alerta azuis e vermelhas devem ter portas blindadas, vidros à prova de balas e carroçarias suficientemente fortes para aguentarem ataques químicos ou de lança-granadas.

Apesar de a viagem pelos estados de Minnesota, Iowa e Illinois ter carácter oficial, o presidente do Comité Nacional do Partido Republicano, Reince Priebus, convocou uma conferência de imprensa no primeiro estado para criticar a digressão paga pelos contribuintes, diz o El Mundo.

fonte: DN

sábado, 13 de agosto de 2011

Reino Unido. 1600 pessoas detidas devido aos distúrbios



Motins em Totenham, Londrese

O número de detidos devido aos distúrbios, que ocorrem desde sábado, em várias cidades do Reino Unido, ascendeu aos 1600, sendo que 796 já foram acusados, segundo os últimos dados do Ministério britânico da Justiça.

Só em Londres, foram detidas, entre sábado e terça-feira, 1103 pessoas por atos violentos, desordens e roubos, das quais 654 foram acusadas, segundo os últimos dados da Scotland Yard, citados pela agência espanhola Efe.

Entretanto, a Polícia Metropolitana de Londres voltou hoje a deter menores, dois adolescentes de 16 e 17 anos, suspeitos de assaltar lojas de luxo no bairro de Chelsea.

Cinco pessoas morreram, até ao momento, devido à onda de violência, a última delas um homem de 68 anos. As autoridades estão a investigar um jovem de 22 anos por este assassinato.

O homem, Richard Mannington Bowes, foi atacado por um grupo de jovens, enquanto tentava apagar um incêndio em Ealing, tendo ficado com graves feridas na cabeça que o deixaram em coma.

As outras vítimas dos distúrbios foram um homem de 26 anos, que morreu dentro de um carro, com feridas de bala, e três muçulmanos atropelados em Birmingham, quando tentavam proteger uma loja.

fonte: Jornal i

Veja aqui os telegramas publicados por The Guardian

Veja aqui os telegramas publicados por The Guardian
Veja aqui os telegramas publicados por The Guardian