sábado, 30 de julho de 2011

Câmara de vigilância capturam imagens da explosão em Oslo


Os sistemas de videovigilância de um restaurante e de uma loja captaram alguns momentos do atentado em Oslo.



fonte: Expresso

terça-feira, 26 de julho de 2011

Vídeo "Moody's avalia isto" já faz furor no YouTube

Um vídeo destinado à agência de rating "Moody's", que colocou Portugal no nível lixo, promete atingir a popularidade de "O que os finlandeses não sabem sobre Portugal".


O vídeo começa com Obama a dizer que os EUA não são Portugal e com várias notícias do dia em que a Moody's colocou Portugal no nível lixo. Depois surgem as respostas. E em inglês, para toda a gente entender.

fonte: DN

domingo, 24 de julho de 2011

Barroso na lista de potenciais alvos de assassino norueguês

'2083: Uma Declaração da Independência Europeia' tem 1518 páginas e está a ser atribuída a Anders Behring Breivik, o fundamentalista cristão que na sexta-feira matou 93 pessoas

Durão Barroso surge como exemplo de figuras que poderiam ser alvo de ameaças ou até de acções terroristas num manifesto que apareceu na internet e está a ser atribuído pelos media noruegueses e pelas agências internacionais a Anders Behring Breivik, o fundamentalista cristão, de 32 anos, que na sexta-feira matou 93 pessoas no centro de Oslo e na ilha de Utoya.

(Veja o vídeo colocado no YouTube em que o "manifesto" é resumido)


"2083: Uma Declaração da Independência Europeia" tem 1518 páginas e é um misto de opiniões pessoais e de transcrições de textos da autoria de outras pessoas. No documento, o assassino que já confessou a autoria do massacre e vai hoje a tribunal, descreve ao pormenor a forma como planeou tudo.

Breivik, que no documento escrito em inglês é Andrew Berwick, explica que a barbárie teve como objectivo lançar "uma guerra preventiva contra os regimes marxistas-multiculturalistas da Europa e enfraquecer a invasão-colonização islâmica em curso".

fonte: DN

Número de vítimas mortais em Oslo sobe para 93



O número de mortos nos dois atentados da Noruega subiu hoje para 93, depois da morte de um dos feridos no ataque contra o acampamento da juventude na ilha de Utoeya.

Com esta morte, sobe para 86 o número de mortos do segundo ataque, principalmente adolescentes, que ocorreu num campo de férias organizado pelo Partido Trabalhista, numa ilha fora a 40 quilómetros da capital. Este ataque aconteceu apenas duas horas depois de um carro-bomba ter explodido no complexo do governo em Oslo, matando sete pessoas.

A polícia supõe que o suposto autor do duplo atentado, Anders Breivik Behring, agiu sozinho, mas não descarta cúmplices. Já hoje, o corpo especial da polícia norueguesa deteve seis pessoas numa operação especial nos arredores de Oslo na sequência do duplo atentado de sexta-feira.

Segundo relata a imprensa, equipas especiais das forças de segurança participaram numa operação que levou ao cerco de uma casa numa zona industrial que poderá ter escondidos dois contentores de produtos químicos.

fonte: DN

sexta-feira, 22 de julho de 2011

The Guardian cria música para os PIGS

O jornal The Guardian criou uma música dedicada aos países mais afectados pela crise da dívida, os PIGS (Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha).


fonte: Jornal i

domingo, 17 de julho de 2011

Meio milhão de crianças à beira da morte por falta de comida em África



Na Somália, o país mais afectado, um terço da população precisa de ajuda alimentar

A Unicef alertou este domingo para o "risco iminente de morte" de meio milhão de crianças no Corno de África, devido à forte seca que afecta mais de dois milhões de crianças.

"Meio milhão de crianças sofre de malnutrição severa e está em risco iminente de morte. Precisam de ajuda imediata", alertou o diretor executivo da agência das Nações Unidas para a infância, Anthony Lake, numa conferência de imprensa na capital do Quénia.

Lake juntou-se ao ministro britânico para o Desenvolvimento Internacional, Andrew Mitchell, que anunciou no sábado o envio de 60 milhões de euros de ajuda urgente para a Somália, Quénia e Etiópia.

Na Somália, o país mais afectado, um terço da população precisa de ajuda alimentar de emergência, segundo a União Africana.

Milhares de famílias somalis passam fome no campo de refugiados do mundo em Dabaad, no leste do Quénia, desenhado para 90 mil pessoas mas habitado por 300 mil.

"Aquilo a que assistimos é como uma 'tempestade perfeita': o conflito armado na Somália, os preços crescentes dos combustíveis e dos alimentos, a seca e a falta de chuva. A próxima colheita só se fará daqui a quatro ou cinco meses. Temos uma tarefa enorme pela frente", frisou o director executivo da Unicef.

fonte: JN

O último dos Habsburgo foi a enterrar: corpo na Áustria, coração na Hungria


Os funerais juntaram numerosos representantes da nobreza europeia

Milhares de austríacos e de turistas juntaram-se hoje no centro histórico de Viena para participar nas cerimónias fúnebres de Otto von Habsburgo, herdeiro do último imperador da Áustria-Hungria.

O corpo do filho do imperador Carlos I, que morreu no dia 4 de Julho aos 98 anos, foi enterrado na cripta imperia de Vienal, onde se encontram sepultados a maioria dos membros da família Habsburgo, com toda a pompa e circunstância associada ao antigo império. A sua mulher, a alemã Regina de Saxe-Meiningen que morreu o ano passado, também foi enterrada ao seu lado.

Seguindo a tradição dos Habsburgo, o coração de Otto foi levado para a Hungria, onde será enterrado hoje numa abadia nos arredores de Budapeste

Os funerais juntaram numerosos representantes da nobreza europeia, ligada de alguma forma aos Habsburgo, incluindo o rei Carl XVI Gustaf da Suécia e a rainha Silvia, o grande duque Henri do Luxemburgo, o príncipe Adam II do Liechtenstein e os dois ex-monarcas da Bulgária Siméon II e da Roménia Michel I. Líderes políticos da Geórgia, da Croácia e da Macedónia também estiveram presentes.

Otto von Habesburgo nasceu em 1912, seis anos antes do colapso do império da Áustria-Hungria no final da Primeira Guerra Mundial. Passou muitas décadas no exílio depois da sua família ter fugido da Áustria em 1919. Só em 1961 é que abdicou da pretensão de recuperar a liderança do império e cinco anos depois foi autorizado a regressar ao seu país.

Foi um forte crítico dos nazis e da anexação da Áustria pela Alemanha em 1938. A BBC recorda que Otto foi um dos organizadores do Pic-nic Pan-europeu, um protesto na fronteira da Áustria com a Hungria realizado em 1989, meses antes da queda do Muro de Berlim.

Foi eurodeputado pelo seu país durante duas décadas, tendo sido um defensor fervoroso da integração na UE dos países do leste europeu que se livraram da liderança comunista de Moscovo. O presidente da comissão europeia, Durão Barroso, prestou ontem homenagem a “um grande Europeu”.

fonte: Público

sábado, 16 de julho de 2011

Funcionários do Estado ganham mais 500 euros que a média nacional



Na administração directa do Estado, o vencimento médio de um funcionário público é de 1386 euros

O Estado gasta 2,75 mil milhões com 101 426 funcionários por ano

Ter mais ou menos 500 euros todos os meses na conta bancária faz toda a diferença para a maioria das famílias. E 502 euros é a distância entre o ordenado médio de um português no sector privado (884 euros) e na administração pública (1386 euros). Por ano, o Estado paga 1,97 mil milhões de euros com os vencimentos-base de mais de 100 mil funcionários. O valor é o equivalente, por exemplo, àquele que os turistas deixaram em Portugal nos primeiros quatro meses deste ano.

Os encargos anuais com os recursos humanos, contudo, ultrapassam os 2,75 mil milhões de euros. É essa a despesa anual do Estado com salários, subsídios, prémios, abonos ou suplementos - e que equivale, por exemplo, aos lucros que a cadeia IKEA obteve o ano passado com as vendas em todo o mundo ou aos prejuízos que a aviação mundial estima vir a ter este ano com a subida do preço do petróleo.

Estes valores contudo representam apenas metade dos serviços centrais e regionais tutelados pelos 16 ministérios (48%), segundo a orgânica do anterior governo (a do actual só estará pronta daqui a três ou quatro meses). Ao todo, o i cruzou os dados de relatórios de actividades, balanços sociais ou relatórios e contas de 119 entidades. De fora ficaram 129 institutos ou serviços porque essa informação não consta nos seus documentos de gestão ou não foram disponibilizados nos respectivos sites.

Foi portanto com estes dados que o i concluiu que nos organismos que dependem do Ministério da Economia estão os funcionários públicos com mais hipóteses de ganhar melhor. A média salarial dos 2711 trabalhadores ultrapassa os 2300 euros, quase o dobro do vencimento médio dos 24 mil funcionários a trabalhar na dependência da Defesa, onde esse valor é mais o baixo (1103 euros). O Trabalho - com uma média salarial de 2201 euros - e a Educação (2145 euros) estão igualmente no top das médias salariais mais altas.

TOP MAIS. Estes valores até podem ser considerados modestos quando se comparam as médias de ordenados por serviço ou entidade. A ganhar mais estão os 119 funcionários do Instituto do Fundo Social Europeu do Ministério do Trabalho, com uma média salarial de 5638 euros; no outro extremo estão os 1898 trabalhadores do Instituto Nacional de Emergência Médica (Ministério da Saúde), com vencimentos médios ligeiramente superiores ao salário mínimo (479 euros).

BEM PAGO. Os 75 funcionários da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos do Ministério da Economia estão igualmente entre os mais bem pagos, com médias salariais a atingir os 4800 euros. O Instituto Camões (Ministério dos Negócios Estrangeiros), com 665 trabalhadores e ordenados médios de 3652 euros, e ainda a AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, tutelado pela Economia (571 funcionários e salário médio de 2934 euros) encontram-se igualmente nos primeiros lugares deste ranking.

Além do Instituto Nacional de Emergência Médica, os últimos lugares foram ocupados pelo Gabinete de Planeamento Estratégico e Relações Internacionais, sob a alçada das Obras Públicas, Transportes e Comunicações (48 funcionários e média salarial de 519 euros) e ainda a Direcção-Geral de Pessoal e Recrutamento Militar, tutela da Defesa, onde a média salarial dos 47 trabalhadores atinge os 569 euros.

ALTO E BAIXO. O ordenado mais cobiçado, contudo, está na Entidade Reguladora dos Serviços das Águas e dos Resíduos do Ministério do Ambiente - 6993 euros é o vencimento-base mais elevado entre as 119 entidades analisadas. Está 14 vezes acima do salário mínimo nacional, o valor mais baixo encontrado em 27 serviços da administração directa do Estado.

Resta ainda perceber quais são os ministérios que mais despesas têm com os seus recursos humanos. No topo está a Defesa, que por ano gasta 807 milhões em encargos com o pessoal, seguido dos ministérios da Saúde (646 milhões), do Trabalho (367 milhões) e da Justiça (195 milhões). Entre os mais económicos surgem a Cultura (14 milhões) ou os Negócios Estrangeiros, com despesas anuais de 34 milhões de euros. Em média, um funcionário custa por mês ao Estado 2218 euros em encargos sociais, um valor que sobe para 31 mil euros ao final do ano.

fonte: Jornal i

Benfiquistas esgotam stock de barras de ouro da Caixa Geral de Depósitos


A venda de barras de ouro aos balcões dos bancos beneficia da valorização do metal precioso.


Actualmente, a Caixa Geral de Depósitos só comercializa libras de ouro, porque os prémios do cartão Benfica, atribuídos em barras de ouro, esgotaram as reservas do banco público. BCP, BES e BPI são as outras instituições que também comercializam o metal.

Os portugueses estão cada vez mais adeptos do investimento em barras de ouro. A tendência de valorização e os sucessivos recordes do metal precioso, bem como a actual conjuntura de crise, estão a aumentar a corrida aos balcões dos bancos que comercializam ouro. O BCP revela que contabilizou mais de 3500 pedidos de barras de ouro, o equivalente a um volume superior 244 quilogramas até Junho deste ano. A compra de barras até 250 gramas aumentou, enquanto a procura por barras de maior dimensão recuou.

A procura pelo ouro, metais preciosos, numismática e medalhística nos balcões das instituições justifica-se com a actual turbulência nos mercados. As crises do subprime, financeira e das dívidas soberanas obrigaram os investidores e aforradores a procurar activos de refúgio e a evitar investimentos de maior risco. Ontem o preço da onça em Nova Iorque superou os 1588 dólares.

Em declarações ao i, fonte oficial da Caixa revela que o banco não vende barras de ouro aos balcões desde que as reservas esgotaram, com a elevada adesão ao cartão do Benfica, lançado em 2008. O cartão promoveu já três edições do concurso "lugar de ouro" e só durante a época desportiva de 2010/20111 foram distribuídos 150 mil euros em barras de ouro. Nesta iniciativa eram sorteada barras de ouro a um lugar aleatório do Estádio da Luz.

Em relação às libras, a mesma fonte diz que o banco "não sentiu aumento de venda este ano comparado com período homólogo do ano passado". O banco estatal vende também rupias, moedas provenientes da Índia, com um peso aproximado de 12 gramas e sujeitas a demora na entrega.

Fonte oficial do BCP adianta que são sobretudo "os clientes tradicionais que ainda procuram a libra em ouro". A actual conjuntura está a penalizar a procura por barras de 500 gramas e 1000 gramas. Até ao dia 21 de Junho, o BCP registava 97 pedidos de barras de um quilograma, o que representa uma quebra de 66% face às 287 encomendas registadas no mesmo período do ano passado. A escolha dos portugueses está a recair nas barras de menor dimensão, com preços mais acessíveis. Por exemplo, as encomendas de 10 gramas mais que duplicaram, de 793 em 2010 para 1643 este ano. "Os produtos são indexados ao valor do ouro nos mercados internacionais e a entrega, salvo raras excepções, é imediata ou até dois dias úteis", diz o BCP.

O ouro tornou-se um investimento, mas também uma oportunidade de negócio para as redes de franchising de compra e venda de ouro. As agências multiplicam-se pelo país.

fonte: Jornal i

Jay Leno é o "mais perigoso" da Internet



O "showman" é presença habitual nesta lista

A empresa de segurança BitDefender identificou o apresentador norte-americano como a personalidade mais citada nos e-mails com "spam", as mensagens electrónicas indesejadas.

A cantora Madonna, a actriz Cameron Diaz, o presidente norte-americano Barack Obama, o escritor Stephen King e o actor George Clooney são outros famosos mais utilizados como "isco" no ciberespaço.

As conclusões foram apuradas num estudo realizado pela empresa, que analisou 25 milhões de mensagens "spam".

Catalin Cosoi, responsável de ameaças online no laboratório da BitDefender, afirma que "os ciberdelinquentes seguem as últimas tendências, tal como fazem os consumidores". Esta estratégia explica o desaparecimento de algumas estrelas habituais nesta lista, nos últimos anos - casos de Justin Bieber, Angelina Jolie e Oprah Winfrey.

"Utilizam as celebridades e as suas polémicas em campanhas com o intuito de incitar as pessoas a abrir os e-mails e levá-las a sites online que estão cheios de software malicioso", acrescenta.

Os cibercriminosos usam frequentemente frases como "Jay Leno encontrado a consumir drogas" ou as "mulheres de George Clooney".

fonte: JN

Famosos vítimas de negociatas


Dono do stand que emprestou BMW a Angélico usava o cantor para vender carros ‘ilegais’ a famosos. Vera, do Perdidos na Tribo, foi uma delas. Abel Xavier também comprou um Nissan ao empresário.

Angélico não foi o único a receber um presente envenenado de Augusto, o dono do stand que lhe passou para as mãos um BMW que o conduziu à morte.

Enquanto o carro que encomendara não chegava, Augusto emprestava-lhe carros topo de gama para atrair clientela. Vera Ferreira, entre outros, apresentada ao empresário pelo cantor, também esteve para fechar negócio mas apercebeu-se a tempo de que ia comprar ‘gato por lebre’.

Amiga de Angélico e uma das participantes no programa Perdidos na Tribo, Vera foi mandada parar pelas autoridades e descobriu que o Mini Cooper que conduzia – e que lhe fora entregue por Augusto – estava ilegal e que as modificações que lhe foram feitas poderiam ter causado um acidente fatal.

O carro da rapariga, que se tornou figura pública no Secret Story, era uma falsificação completa. Desde o chassi adulterado à matrícula, passando pelas jantes, os vidros fumados e a cor – nada parecia corresponder ao original.

Vera foi apresentada por Angélico a Augusto no início de Janeiro. Desde logo, amigos próximos a avisaram: «Olha que esse homem é perigoso, muito perigoso!» Mas nem ela nem Angélico acreditaram. O dono do stand foi ganhando a amizade da jovem e um dia propôs-se oferecer-lhe carro. Para a homenagear, numa cena à Hollywood, pintou o Mini Cooper de rosa, e nos bancos, forrados a pele branca para o propósito, gravou o nome da nova proprietária.

Mas sem mais nem menos, o empresário mudou de ideias e o presente vira negócio. Pede-lhe pelo carro (com quase dez anos) 11 mil euros. «E eu, que já tinha uma grande estima pelo carro, aceitei comprá-lo», conta Vera. Só que o Mini, que o dono do stand dissera à rapariga ser de 2008, tratava-se afinal de carro já estafado: um Mini R50 lançado em Abril de 2002 que mantinha ainda a velha grelha e os faróis laterais. No fundo, a mesma carroçaria.

Talvez por isso, sempre que Vera ultrapassava os 100 km/hora, perdesse a direcção assistida, ou como a própria conta: «Cada vez que fazia marcha-atrás, ouvia um barulho, como se fosse uma corrente a arrastar».

fonte: Sol

Obama diz que EUA não são nem a Grécia nem Portugal



O Presidente dos Estados Unidos advertiu esta sexta-feira que o «tempo urge» para aumentar o limite da dívida e evitar o «fim do mundo» do incumprimento, mas ressalvou que os Estados Unidos «não estão nem na situação da Grécia nem de Portugal».

Barack Obama disse estar receptivo a uma proposta «séria» dos seus adversários políticos do partido republicano e recordou que na quinta-feira forneceu um prazo entre 24 horas e 36 horas à Câmara dos Representantes (câmara baixa do Congresso dos EUA, com maioria republicana) para chegarem a um acordo, enquanto aumentam os receios sobre um incumprimentos dos seus compromissos financeiros a partir de Agosto.

O Presidente norte-americano adoptou, no entanto, um tom optimista, ao afirmar que os Estados Unidos «não estão nem na situação da Grécia, nem na situação de Portugal», sem adiantar mais pormenores.

«Tenho sempre esperança. Não se recordam da minha campanha?», referiu, numa alusão ao slogan «esperança» que dominou a campanha democrata para as presidenciais de 2008.

«Se não apresentarem um plano sério (numa referência à Câmara dos Representantes) estou preparado para actuar», assegurou. As reuniões organizadas diariamente esta semana na Casa Branca com os republicanos revelaram-se até ao momento inconclusivas.

Em simultâneo, Obama considerou «pouco sério» o plano republicano de garantir um compromisso sem aumentar os impostos e repetiu a sua preferência por um ambicioso plano de redução do défice de quatro biliões de dólares (2,8 biliões de euros) em dez anos.

Na ausência de acordo, Obama também deu a entender que poderia apoiar um complexo programa alternativo sugerido pelo chefe da minoria do Senado, Mitch McConnell.

«Será construtivo dizer que se Washington funcionar como é habitual e seja impossível um acordo, tentemos pelo menos evitar o fim do mundo», disse, ao utilizar o termo bíblico «Armagedão».

Uma nova proposta republicana, que foi hoje divulgada, propõe a redução das despesas federais em 2,5 biliões de dólares e a limitação das despesas da administração para uma percentagem ainda em discussão. Em troca do aumento do limite da dívida pública, também é sugerida uma alteração constitucional para impor um orçamento equilibrado.

Os republicanos pretendem que a votação desta proposta ocorra na próxima semana.

Obama manifestou inicialmente a intenção em reduzir a dívida norte-americana em quatro biliões de dólares nos próximos dez anos. A dívida atinge actualmente os 14,29 biliões de dólares, e continua a aumentar ao ritmo do défice orçamental, que este ano deverá atingir 1,6 biliões de dólares.

Os adversários republicanos de Obama recusam terminar com as isenções de impostos que favorecem as classes média e alta, aprovadas no consulado do Presidente George W. Bush, e consideram que o défice ser apenas reduzido através do corte nas despesas.

fonte: Sol

Berlusconi caiu no duche e feriu a cabeça



Médico diz que primeiro-ministro italiano está cansado mas bem

O primeiro-ministro italino Silvio Berlusconi sofreu um traumatismo craniano depois de ter caído no duche durante a noite passada, confirmou esta sexta-feira o seu médico pessoal Alberto Zangrillo.

Il Cavaliere "caiu no duche e feriu-se na cabeça. Estava cansado, continua cansado, sofreu um pequeno traumatismo craniano", disse Zangrillo, à Radio 24, acrescentando que ele está bem.

Berlusconi, de 74 anos, assistiu hoje à aprovação definitiva do novo plano de austeridade pelo Parlamento, em Roma, aparecendo nas fotos a contar aos deputados da queda.

fonte: DN

Veja aqui os telegramas publicados por The Guardian

Veja aqui os telegramas publicados por The Guardian
Veja aqui os telegramas publicados por The Guardian